Quem Somos

Com mais de 29 anos de atividade, a SOBRATEMA - Associação Brasileira de Tecnologia para Construção e Mineração se dedica a propor soluções para o desenvolvimento tecnológico do setor, difundir o conhecimento e informações, participar da formação, especialização e atualização de profissionais que atuam no mercado brasileiro da construção e da mineração.

A entidade conta com o apoio de mais de 1 mil associados (profissionais e empresas de construção, de locação, fabricantes e prestadores de serviços) e de parceiros estratégicos, que englobam as principais entidades representativas de profissionais no Brasil e no exterior.

Blog da Sobratema

Associação Brasileira de Tecnologia para Equipamentos e Manutenção

PESQUISAR

Publicado em 22 de março de 2018 por Mecânica de Comunicação

Espessura de revestimento pode influenciar em desempenho de alvenaria estrutural

A alvenaria estrutural é um dos sistemas construtivos mais utilizados no Brasil, pois, sendo uma técnica simples, exige materiais menos complexos, reduzindo riscos de atraso no cronograma de obras. Também há redução de custos referentes ao emprego de formas e escoramentos. O desempenho de estruturas em situação de incêndio, por sua vez, vem ganhando a atenção de engenheiros e estudiosos, tendo em vista os últimos acidentes dessa natureza acontecidos no país.  
          
           Foto: IBDA 
 

O comportamento frente ao fogo de paredes estruturais erguidas em alvenaria foi tema de uma dissertação de mestrado defendida na Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos). Na ocasião, seis tipos de paredes foram avaliados em laboratório, onde condições de incêndio foram simuladas. As paredes de alvenaria estudadas, construídas em tamanho real para os testes, possuíam revestimentos em argamassa equivalentes a 0, 15 mm e 25 mm, sofrendo, ou não, aplicação de 10 tf/m como força de carregamento. Nos testes, foram medidos os valores de Tempo de Resistência ao Fogo (TRF) das diferentes amostras, considerando estanqueidade de fumaça, estabilidade estrutural e deslocamento horizontal das paredes.    

Nas situações com ou sem força de carregamento, as amostras com melhor desempenho apresentavam 25 mm de revestimento nas faces interna e externa. A parede sem força de carregamento contou 240 minutos referentes ao TRF, ou seja, durante esse período, conservou os critérios necessários de estanqueidade, estabilidade estrutural e isolamento térmico. A parede com carregamento apresentou TRF em 221 minutos. Também foi demonstrado que ocorre maior deslocamento horizontal nas paredes quando não há força de carregamento, em até 43 mm. Nas paredes com carregamento o deslocamento é menor, chegando a 28 mm. Por fim, os estudiosos observaram que conforme a espessura do revestimento aumenta, menor é o deslocamento lateral das paredes.     

A dissertação de mestrado Avaliação da Influência da Espessura do Revestimento Argamassado e do Carregamento no Comportamento da Alvenaria frente a Altas Temperaturas é de autoria de Rodrigo Périco de Souza com orientação de Bernardo Fonseca Tutikian. Está disponível para download neste link. 
Exibindo 0 Comentários:

Deixe seu comentário:

Nome
E-Mail

Atenção: Os comentários aqui publicados são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores deste blog. A Sobratema reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar caluniosos, difamatórios, ofensivos ou preconceituosos, assim como, textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação de seu autor (nome completo e endereço válido de e-mail).

Av. Francisco Matarazzo, 404 Cj 401 Água Branca - CEP 05001-000 São Paulo/SP - Telefone (11) 3662-4159 - Fax (11) 3662-2192 - sobratema@sobratema.org.br

Loading