Associação Brasileira de Tecnologia
para Construção e Mineração

Despoluição do Rio Pinheiros passa por ações concretas de saneamento em seus afluentes, beneficiando 593 mil famílias

O programa Novo Rio Pinheiros está transformando um sonho em realidade, ao concretizar a despoluição desse importante rio de São Paulo. Para alcançar esse objetivo, foi necessário levantar a causa da poluição. Com isso, foram identificados todos os pontos de lançamento de esgoto nos 23 afluentes e, posteriormente, realizado um trabalho de saneamento básico e de regaste às dignidades das famílias. Hoje, o rio já conta com água sem odor, menor turbidez e mais movimento. 

Os avanços do programa Novo Rio Pinheiros foram detalhados pelo Secretário de Governo do Estado de São Paulo, Marcos Rodrigues Penido, durante o BW Talks O Novo Rio Pinheiros, promovido no dia 2 de junho. “Quando fizemos o diagnóstico dentro da bacia, identificamos que era necessário realizar 532 mil ligações. Dividimos o trabalho em 16 sub-bacias e realizamos a contratação por desempenho, ou seja, estamos pagando por volume de esgoto coletado. Contudo, ainda identificamos outros pontos factíveis de ligação, o que significa que o número pode chegar a 600 mil, o que representa 115% da meta do programa”, disse.  

Antes da implementação da iniciativa, chegavam ao Rio Pinheiros 2800 litros por segundo de carga orgânica. Hoje, apenas 500 litros por segundo, que provém, segundo Penido, de áreas irregulares que não receberam a ligação porta a porta, seja por questão física ou por questão legal. Mas, para essas áreas foram instaladas cinco unidades de recuperação - estações de tratamento de esgoto -, abaixo das comunidades, na proximidade da jusante, que realiza o tratamento do afluente como um todo, para que a água tenha um DBO (Demanda Bioquímica de Oxigênio) menor que 30 mm por litro. "Levamos dignidade a 593 mil famílias”, pontuou. 

O programa realiza o processo de super oxigenação da água; e o desassoreamento (remoção dos sedimentos que vêm dos afluentes), para que o rio tenha uma profundidade homogênea em sua extensão e um maior volume de água para diluir. Já foram 700 mil m³ de sedimentos removidos e o próximo contrato prevê mais 600 mil m³ de sedimentos a serem retirados. Além disso, 20 barcaças e 200 homens recolhem os resíduos nas superfícies constantemente. Ao total, foram removidas 69 mil toneladas de lixo. “Esse é o ponto em que a população pode nos ajudar, se conscientizando sobre a importância de descartar o lixo no local correto”, comentou Penido.  

Durante o evento online do Movimento BW, iniciativa da Associação Brasileira de Tecnologia para Construção e Mineração (Sobratema), Penido avaliou que o programa Novo Rio Pinheiros é plenamente replicável em outras localidades. “Esse é um trabalho de universalização do saneamento, pois realizamos ligações porta a porta e o esgoto vai diretamente para o coletor”. A seu ver, outro ponto positivo é trazer as pessoas para as margens do rio e convidar o setor privado para valorização desses locais. Ele contou ainda que no mês de junho a primeira fase do Parque Bruno Covas estará terminada. Sobre o Rio Tietê, o secretário de Governo disse que é possível fazer esse tipo de trabalho, em um prazo de seis a oito anos.  

Essa é a segunda vez que Penido participa de um evento online do Movimento BW. A primeira vez foi na BW Digital, em 2020, quando ele comentou sobre o início do programa Novo Rio Pinheiros. Para o secretário, é através de ações como o Movimento BW, que é possível ampliar a conscientização sobre a questão ambiental. "As boas ações e boas alternativas estão sendo mostradas para a sociedade civil. Que isso inspire nossos jovens e nossos empresários a investir nesse movimento”, destacou.  

Por fim, ele afirmou que São Paulo assinou um protocolo para atingir a neutralidade das emissões de gases de efeito estufa até 2050 e que o Governo Estadual prepara o lançamento do mercado voluntário de carbono paulista. 

O BW Talks O Novo Rio Pinheiros está disponível no site oficial do Movimento BW.