Associação Brasileira de Tecnologia
para Construção e Mineração

BLOG SOBRATEMA

Publicado em 17 de junho de 2019 por Mecânica de Comunicação

Construtoras devem controlar emissão de material particulado em canteiro de obras

Entre os impactos que devem ser controlados por construtoras, há a emissão de material particulado, ou seja, partículas muito finas de sólidos ou líquidos suspensos no ar. Além de atingir os operários e outros profissionais que atuam no canteiro de obras, toda a vizinhança de um empreendimento está sujeita ao problema, podendo em alguns casos culminar em processos legais. Por isso, é recomendável que construtoras desenvolvam estratégias de medição e controle do material particulado.   

A garantia de controle das emissões de partículas depende de um planejamento adequado, que identifique os riscos envolvidos, as atividades emissoras e as ferramentas de prevenção, controle e monitoramento. Além disso, depende de uma transferência adequada dessas informações às equipes de produção e de um controle contínuo de aplicação. Portanto, quando o objetivo é monitorar o material particulado produzido, é muito importante colocar em prática um plano de gestão de obra eficiente, com o propósito de garantir as ações de controle desenvolvidas até a fase de conclusão de um empreendimento, quando o canteiro é desfeito e a edificação liberada aos usuários, passando da fase de construção à etapa de operação.  

Uma recente investigação acadêmica desenvolveu uma metodologia para combater a emissão de material particulado em canteiro de obras. O método possibilita não só quantificar e caracterizar o material particulado, mas também definir atividades mitigadoras imediatas ou quase imediatas para redução da poluição causada pelo material particular. Entre as novidades do estudo, está o monitoramento dos parâmetros meteorológicos - temperatura, umidade, precipitação, direção, velocidade do vento, entre outras - para compreensão do comportamento dos poluentes atmosféricos, pois a qualidade do ar não depende apenas da quantidade de partículas lançadas, mas também da forma como a atmosfera age no sentido de controlá-las ou dispersá-las. Por exemplo, de acordo com o estudo, a atividade de movimentação de terra deve ser evitada durante períodos muito secos e com ventos fortes.  

A versão integral do estudo foi publicada como dissertação de mestrado apresentada na Universidade Federal da Bahia (UFBA). Metodologia para Medição de Emissão de Material Particulado em Canteiro de Obras é de autoria de Ingrid Priscylla Araújo com orientação de Dayana Bastos Costa.

}