Associação Brasileira de Tecnologia
para Construção e Mineração

BLOG SOBRATEMA

Publicado em 07 de maio de 2020 por Mecânica de Comunicação

Impactos de um sistema fotovoltaico conectado à rede elétrica

A energia solar vem ganhando destaque no cenário mundial, principalmente por ser uma fonte de energia renovável e abundante. Segundo a ANEEL, a capacidade de geração do Brasil é de 162,48 GW. Porém, em 2017, a geração fotovoltaica compreendia 50 empreendimentos, com capacidade de geração de 148,23 MW de energia elétrica, representando valores inferiores a menos de 1% da potência total instalada. 

Mesmo sendo uma tecnologia relativamente nova no Brasil, a energia solar fotovoltaica está se tornando cada vez mais competitiva, principalmente devido à redução de seus custos e elevação dos custos de outros tipos de fontes, tudo isso também diretamente associados à questão ambiental. Entretanto, existem poucos estudos sobre os impactos na qualidade de energia elétrica, que é um fator importante quando se fala de sistemas elétricos. 

Deve-se manter uma boa qualidade de energia elétrica para que o sistema funcione adequadamente. Se não forem mantidos os valores para os parâmetros elétricos descritos em normas e resoluções, o sistema elétrico tende a falhar, podendo em certos casos ocasionar a interrupção do mesmo.

Desse modo, há vários aspectos que se devem analisar ao se instalar um Sistema Fotovoltaico Conectado à Rede (SFCR) para que se mantenha a qualidade de energia elétrica. Os SFCR são sistemas em que a geração fotovoltaica representa uma fonte de energia complementar ao sistema elétrico ao qual está interligado. Ou seja, eles injetam energia elétrica diretamente na rede elétrica, que é transportada para ser consumida pelas unidades consumidoras, dessa forma eles dispensam o uso de acumuladores, que são utilizados apenas em sistemas isolados. 

Os sistemas fotovoltaicos, quando conectados à rede, podem causar impactos na qualidade da energia elétrica. Podem gerar tensões mais elevadas ou mais baixas que a nominal, alterar o fator de potência, gerar harmônicos. Entre os cinco principais problemas estão sobretensão, potência reativa, fator de potência, harmônicos e Flicker. 

Assim, ao se projetar e instalar um SFCR, deve-se seguir as normas bem como realizar um prévio estudo sobre os impactos gerados pelos SFCR, para que o sistema não cause danos, nem interfira no bom funcionamento da rede elétrica ao qual está instalado, ou ainda causar acidentes.

As considerações acima foram extraídas da dissertação de mestrado Análise dos impactos de um sistema fotovoltaico conectado à rede em Mossoró/RN, defendida por Isaú Macêdo Balbino, no Programa de Pós-Graduação em Sistemas de Comunicação e Automação da Universidade Federal Rural do Semi-Árido, sob orientação da professora Fabiana Karla de Oliveira Martins Varella Guerra, e coorientação do professor Marcelo Roberto Bastos Guerra Vale.
 

}