Associação Brasileira de Tecnologia
para Construção e Mineração

BLOG SOBRATEMA

Publicado em 08 de outubro de 2020 por Mecânica de Comunicação

Reuso de água de esgoto tratada pode trazer vantagens econômicas e sociais

O estabelecimento de um método de fornecimento estável de água potável suficiente e seguro às comunidades é um imperativo. A solução, ainda viável, é a reutilização potável direta (RPD). Esta introdução de águas residuais tratadas no processo de tratamento de água de beber resolve o problema da não confiável disponibilidade de recursos de água bruta, devido à pressões de escassez de água, de estresse hídrico, populacionais e demográficos, fontes de água doce poluídas, e a cara disposição de água a partir de locais distantes.

A aceitação da RPD é determinada através da identificação e resolução de preocupações em relação à tecnologia de tratamento, os riscos de saúde, questões regulatórias, controles gerenciais e operacionais, problemas de percepção pública e custo.

Nesse sentido, os processos de tratamento para recuperação de águas residuais são empregados tanto individualmente como em combinações para obter metas de qualidade. Considerando as unidades chave de processamento e operação comumente usadas em recuperação de água, um elevado número de diagramas dos fluxos do processo de tratamento poderá ser desenvolvido, para atender os requisitos de qualidade da água para aplicações de reuso.

Muitos fatores podem afetar a escolha da tecnologia de recuperação de água. Entre os fatores chave estão: o tipo de reuso da água, objetivos de qualidade da recuperação; características da fonte de água residuária; compatibilidade com as condições existentes; flexibilidade do processo, requisitos de operação e manutenção, requisitos de energia e química; requisitos de pessoal; opções de deposição de resíduos, e restrições ambientais.

A água reciclada, também conhecida como água recuperada ou água cinzenta, vem sendo usada há décadas em agricultura, paisagismo e na indústria. E há anos águas tratadas de esgoto, conhecidas como "efluentes" são despejadas nos oceanos e em rios como o Mississipi e o Colorado, que são fonte de água potável para milhões de pessoas.

O sistema de tratamento de esgoto sanitário que permite o reuso de água tratada possibilita uso consciente dos recursos hídricos e trazem muitas vantagens econômicas. Mais do que uma possibilidade, o reuso de água de esgoto tratada tem se tornado uma realidade. Embora ainda pouco aplicada, a reutilização de água para uso geral pode reduzir significativamente os gastos com água potável e fazer com que o recurso hídrico natural cada vez mais escasso, seja economizado. Essa prática está prevista nos sistemas compactos pré-fabricados para tratamento de esgoto doméstico da indústria nacional.

A possibilidade de separar a água cinza, fonte residuária gerada em cozinha, tanque e banheiro, e quaisquer outros efluentes que não sejam da bacia sanitária tem sido cada vez mais valioso recurso de tratamento. Nos últimos anos, o SMBR- reator de membrana submerso- vem sendo visto como um método atraente para a reciclagem da água cinza, com a combinação de separação física de substâncias coloidais, incluindo as bactérias patogênicas, com o tratamento biológico aeróbio da matéria orgânica dissolvida

As informações acima foram extraídas da dissertação de mestrado Análise Técnica e Econômica da Viabilidade de Utilização de Sistemas Compactos de Tratamento e Reuso de Efluentes Domésticos em Projetos de Expansão Urbana, defendida por Sergio Carlos Loureiro, na Universidade de Ribeirão Preto (UNAERP), sob orientação do professor Luciano Farias de Novaes.

}