Associação Brasileira de Tecnologia
para Construção e Mineração

BLOG SOBRATEMA

Publicado em 14 de janeiro de 2019 por Mecânica de Comunicação

Mineradoras de agregados devem traçar plano de uso futuro de área lavrada  

A produção de agregados para construção civil é o maior segmento mineral brasileiro em números de produção, sendo o consumo no ano de 2014 estimado em 741 toneladas. A extração mineral envolve um grande número de aspectos técnicos e várias etapas operacionais, que vão desde o projeto de mina, passando por dimensionamento de equipamentos e de desmonte de rochas e estratégias para carregamento e transporte. Ao fim da vida útil de uma jazida ainda é necessário realizar um plano de fechamento de minas previsto pelas Normas Reguladoras de Mineração (NRM), a fim de reabilitar a área utilizada e remover instalações físicas e equipamentos. A reabilitação, se não for planejada adequadamente, torna-se uma fase onerosa se comparada ao capital investido no empreendimento. É também nessa etapa que a gestão de impactos ambientais deve ser feita para evitar consequências prejudiciais à imagem da mineração na sociedade.    

A singularidade no fechamento de uma mina vem do processo de modificação do uso dado para a área, ou seja, a empresa mineradora tem obrigação de implantar o plano de recuperação aprovado pelo órgão competente contendo sugestões de uso da área de extração após seu fechamento. Além dos aspectos ambientais, o plano deve também contemplar a integração do uso futuro da área aproveitada à economia local, pois há impactos socioeconômicos decorrentes do fechamento de uma mina, como perda de empregos e da arrecadação tributária, principalmente municipal.   

Com o planejamento integrado de todas as fases da atividade de mineração há vantagens expressivas, pois é possível avaliar antecipadamente os resultados de diversos cenários para o fechamento de mina e os respectivos efeitos ambientais e socioeconômicos. A avaliação do uso futuro apresenta várias possibilidades, devido às características específicas de cada empreendimento. Por exemplo, em regiões de encosta, o aspecto cénico e paisagístico diferenciado, a expansão urbana e a possível proximidade com outros centros urbanos tornam interessante a proposta de criação de um condomínio residencial ou de um clube de lazer.   

Mais informações podem ser encontradas na dissertação de mestrado apresentada na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) Análise de Cenários de Lavra para Adequação de Uso Futuro é de autoria de Wagner Cristiano Schmitzhaus, orientação de Rodrigo de Lemos Peroni.  

}