Associação Brasileira de Tecnologia
para Construção e Mineração

BLOG SOBRATEMA

Publicado em 02 de abril de 2019 por Mecânica de Comunicação

Investimento em energia renovável estimula crescimento do PIB e produção de bens de capital

Algumas das principais exigências trazidas pelo paradigma da sustentabilidade dizem respeito à pressão sobre a demanda energética futura, às alarmantes consequências das emissões de dióxido de carbono na atmosfera e à realização do abastecimento energético seguro e com certo grau de previsibilidade. Assim, o desenvolvimento de métodos sustentáveis de geração e consumo de energia se tornam fundamentais. 

Além da pauta ambiental, produção e consumo de energia estão ligados ao desenvolvimento econômico de países e da economia global. Exemplo disso foram as recentes mudanças geopolíticas causadas pela queda de 50% do preço do barril de petróleo em 2015. Outra questão social ligada à produção de energia está ligada ao acesso e distribuição mais justa dos recursos energéticos; atualmente, uma parcela considerável da população mundial vive sem os serviços mais básicos de energia e eletricidade, o que aumenta a pressão pelo uso de fontes alternativas de energia e não prejudiciais ao meio ambiente.   

Levando em conta tais aspectos da produção de energia no cenário regional e mundial, um recente estudo acadêmico relacionou o crescimento econômico de países em desenvolvimento com o aumento do investimento em fontes renováveis de energia. Ao analisar o desempenho de alguns países em desenvolvimento - entre eles, Brasil, África do Sul, Rússia e Índia -, foi observado que um aumento de 1% no consumo de energia renovável aumenta o PIB real em 2,98%. Para realizar o estudo, os pesquisadores buscaram dados que cobrissem períodos de dez anos e que mostrassem a evolução de países no cenário econômico e energético. O estudo também revelou que o investimento em energias renováveis favorece a formação bruta de capital fixo, ou seja, o aumento de bens de capital produzidos por empresas, como máquinas, equipamentos e material de construção. Dessa maneira, o estudo demonstra que com a expansão das fontes de energias renováveis poderá ocorrer a redução de dependência de fontes de energia estrangeira, da volatilidade do preço do petróleo e do gás natural e da degradação ambiental de médio e longo prazo.  

O estudo completo foi publicado como dissertação de mestrado, Consumo de Energia Renovável e Crescimento Econômico para Países em Desenvolvimento, aprovado pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ). A autoria é de Daniel Engiel com orientação de Marcelo Klotzle.   

}